TRILHOS

03.06.2019

A série trilhos foi produzida em uma noite.

 

Sua intenção é tocar um local de silencio interior onde também se toca a força pessoal.

 

Acreditando na arte como uma das fontes de comunicação, acesso e reconexão com a alma e acreditando ser a alma ferramente necessária para desenvolvimento interno e externo do ser e de seu entorno.

A delicadeza canalizada traz a intensidade psicótica dos ventos e dos questionamentos.

Defende o modo de vida autônomo e o pensamento livre, colocando-os como alicerces de uma sociedade saudável e estruturada. 

 

 

As pinceladas procuram registar o sentimento e a expressão, pra além da necessidade de seguir ou buscar pela forma realista. Ela permite o sonho e a identificação se dá na sensibilidade e não na concretude. 

 

Nessa série busquei dar mais força aos elementos, tendo ainda a delicadeza como alicerce. 

Foi usada diluições de nanquim para trazer seus movimentos mais utópicos e fluídos.

A mesma tinta, em sua forma sólida. para dar a precisão firme, rochosa e texturizadas.

 

 

 

 

 

 

Toca-te o silêncio

herbal e úmido do âmago.

A carne se mistura ao tempo sobre as pedras frias.

Eucalipto, arrepio, frio e atenção.

Encontras tuas forjas.

 

O sabor em estar vivo arde.

Talvez a necessidade de uma nova linguagem.

Amor, arte e liberdade ainda são necessidades

Estéticas exageradas,

resilientes delicadezas despetaladas.

Buscamos na arte algo que destrinche um pouco,

um todo.

Que reconecte a alma ao corpo.

Venda-te os olhos

em meio a um terremoto,

veja com os poros.

Onde as mortes se tornaram mais frias?

Onde os corpos se esqueceram dos toques.

 

A linguagem cala,

vozes não dizem mais nada.

As ruas mudaram os sentidos,

prioridades precisam ser alteradas.

A alma encontra caminhos de fala.

 

 

 

 

Bruxelas,  30 de Maio de 2019.

 Essa série foi criada nesse quarto, em apenas uma noite,

Produção total de 58 peças.

 

 

 

 

 

 

Veja todas as peças da série TRILHOS clicando aqui.

 

 

Please reload