TRILHOS

Toca-te o silêncio

herbal e úmido do âmago.

A carne se mistura ao tempo sobre as pedras frias.

Eucalipto, arrepio, frio e atenção.

Encontras tuas forjas.

 

O sabor em estar vivo arde.

Talvez a necessidade de uma nova linguagem.

Amor, arte e liberdade.

Estéticas exageradas,

resilientes delicadezas despetaladas.

Buscamos na arte algo que destrinche um pouco,

um todo.

Que reconecte a alma ao corpo.

Venda-te os olhos

em meio a um terremoto,

veja com os poros.

Onde as mortes se tornaram mais frias?

Onde os corpos se esqueceram dos toques.

 

A linguagem cala,

vozes não dizem mais nada.

As ruas mudaram os sentidos,

prioridades precisam ser alteradas.

A alma encontra caminhos de fala.

PEÇAS DISPONÍVEIS / TATUAGENS